Quem sou eu

Minha foto

Nascido em 15/06/1964, sou um dinossauro me aventurando em um mundo essencialmente de jovens.
No entanto, sou um homem moderno, light, portanto insosso e incapaz de sintetizar essa enorme massa de informação a que tenho acesso. 

Viajante do Google Street View.

Já perdi o que nunca tive.
Tenho saudades de um tempo em que nunca vivi.
Tenho saudades de lugares onde nunca estive.

Estou praticamente certo de que eu não sou daqui, ou estou deslocado no tempo ou no espaço, ou em ambos os dois.

Rádio Absolute 80´s

Separador

quinta-feira, outubro 27, 2005

Professor

Sou um sujeito que quando jovem pensou que por ter entrado na área profissional que desejava, não precisava mais de estudo.

Mas, aos 40 anos de idade, vi o quão errado eu estava.
Voltei para o banco escolar.

Vendo pelo que um professor passa, tendo caso de ser afastado do trabalho devido ao estresse, resolvi expor minha visão do assunto.
Mas, como não sou um sujeito pensante, fiz uma busca na internet a procura de "inspiração", e como era de se esperar, muito se vê de alunos (ou não) chamando o professor de "estressadinho", sem nem de longe imaginar que nós, alunos, somos na maioria das vezes, se não na totalidade, a razão desse estresse.

Percebi que o professor tem sido apontado como uma das maiores vítimas do estresse profissional, mais conhecido como Síndrome de Burnout.

Síndrome de Burnout é definido pelos pesquisadores Maslach e Jackson como uma reação à tensão emocional crônica gerada a partir do contato direto e excessivo com os outros, particularmente quando estes envolvem cuidado.

Dai minha afirmação que nós, alunos, somos responsáveis pelo estresse sofrido pelo professor. A interação em sala de aula com alunos indisciplinados pode levar a desmotivação e até ao estresse.
O professor além de educador, deve ser um motivador. Mas como fazer isso se não lhe damos o devido valor? Como motivar alguém que não te ouve?
Alguém certa vez me disse que devemos ajudar quem quer ser ajudado, começo a pensar que essa pessoa esta certa.

É bem verdade que por parte do empregador o professor também sofre ações que pode leva-lo ao estresse. Na área privada por exemplo, se um professor levantar a voz para um aluno pode ser um ato que o colocará "no olho da rua", pois esse aluno é Crédito, e o professor Débito no livro caixa da escola.

Antes de dizermos "professor estressadinho", vamos tentar imaginar a razão desse estresse.

Quem se interessar em saber mais sobre a Síndrome de Bournout, tente aqui, aqui, ou aqui.
Pesquisando sobre o assunto você perceberá que não é só o professor que pode ser acometido pela Síndrome de Bournout.

Sonhos do AJ - Episódio 03

Sonhei que eu estava vindo não sei de onde e me  dirigia para a minha casa em um carro velho. Virei uma curva à esquerda, era descida. Não ...